Expansão e privatização dos cursos de medicina e a integração ensino-serviço: o caso do estado de Pernambuco

Autores

Palavras-chave:

Serviços de integração docente-assistencial. Educação médica. Universidades. Privatização.

Resumo

A investigação problematizou os desafios decorrentes da expansão dos cursos de medicina públicos e privados no estado de Pernambuco, considerando os pressupostos da integração ensino-serviço no âmbito da rede especializada de saúde. O estudo é descritivo e exploratório, tipo estudo de caso, com utilização de técnicas combinando abordagens de pesquisa quantitativa e qualitativa. O processo de privatização no estado ocorreu mais lentamente do que no País. No ano 2000, existiam tão somente 290 vagas em duas instituições públicas. Em apenas duas décadas, atinge-se o total de 1.350 vagas, estando 1.130 delas localizadas no setor privado. Assim, à intencionalidade do setor público de ordenar a presença crescente do setor privado no ensino médico não tem correspondido a disponibilidade de decisões políticas respeitantes à integração ensino-serviço, constituindo-se a não implementação do Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (Coapes) um caso paradigmático.

Downloads

Publicado

2023-05-28

Como Citar

1.
Morais HMM de, Sá RGR de, Albuquerque M do SV de, Oliveira RS de. Expansão e privatização dos cursos de medicina e a integração ensino-serviço: o caso do estado de Pernambuco. Saúde debate [Internet]. 28º de maio de 2023 [citado 21º de junho de 2024];47(137 abr-jun):182-95. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/8051

Edição

Seção

Artigo Original