Vida sem escola e saúde mental dos estudantes de escolas públicas na pandemia de Covid-19

Autores

Resumo

O presente estudo analisa os efeitos da pandemia de Covid-19 sobre a saúde mental dos estudantes durante parte do período de suspensão das aulas presenciais. Trata-se de estudo transversal, aplicado entre outubro e dezembro de 2020, baseado em questionário online de autorrelato respondido por estudantes entre 13 e 20 anos, do 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, que acompanhavam as atividades escolares remotas em 21 escolas públicas estaduais e municipais, localizadas nas periferias dos municípios de São Paulo e Guarulhos. Para a análise dos dados, utilizou-se dois modelos de regressão linear múltipla, tendo como variáveis dependentes os escores de depressão pelo Inventário de Depressão Infantil e de ansiedade pelo SCARED (Screen for Child Anxiety Related Emotional Disorders). O tempo de exposição às telas, a inversão do sono e o sexo feminino, combinados com as dificuldades do ensino remoto e outros marcadores sociais (como cor/raça e casos de Covid-19 em casa), estão associados a sintomas de depressão e ansiedade durante a primeira onda da Covid-19 na região metropolitana de São Paulo, reforçando a importância da rotina escolar na vida desses jovens e os desafios colocados às escolas para a promoção da saúde mental dos estudantes no período pós-pandemia.

Publicado

2022-07-04

Como Citar

1.
Vazquez DA, Caetano SC, Schlegel R, Lourenço E, Nemi A, Slemian A, Sanchez ZM. Vida sem escola e saúde mental dos estudantes de escolas públicas na pandemia de Covid-19. Saúde debate [Internet]. 4º de julho de 2022 [citado 12º de agosto de 2022];46(133 abr-jun):304-17. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6186

Edição

Seção

Artigo Original