Contrapontos e inconsistências do discurso da produtividade do agronegócio e suas externalidades sob a ótica do biopoder

Autores

Palavras-chave:

Agronegócio. Biopoder. Agroecologia. Educação da população. Política pública.

Resumo

Este ensaio se propõe à análise crítica do agronegócio, buscando construir um modelo teórico compreensivo tendo como referência o conceito de biopoder de Foucault. Propõe ainda contribuir para as discussões de alternativas sustentáveis e de combate às ações que promovem e flexibilizam o uso de agrotóxicos. Argumenta-se que o agronegócio, apesar de ter tido sua imagem construída por discursos que ressaltam sua eficiência e produtividade, impõem barreiras que impedem a garantia da segurança alimentar e nutricional. Pelo uso intensivo de agrotóxicos, também não disponibiliza alimentos seguros e de qualidade, ao mesmo tempo que impacta o meio ambiente e compromete a saúde da população, somado aos seus impactos políticos, econômicos, sociais e culturais. A análise sob a ótica do biopoder destaca que a atuação da indústria agroquímica e de alimentos, enquanto normatizadoras e geradoras de consumo, desconsidera princípios morais e éticos, infringe direitos humanos e a autonomia dos sujeitos. Paralelamente, propõe-se que, por meio da educação popular e a educação alimentar e nutricional, consegue-se, em longo prazo, construir sujeitos e coletividades autônomos e críticos, capazes de transformar as estruturas de poder vigentes e agir em prol de políticas públicas que fomentem práticas justas, saudáveis, sustentáveis e éticas.

Downloads

Publicado

2022-07-04

Como Citar

1.
Pereira RC, Machado PB, Angelis-Pereira M. Contrapontos e inconsistências do discurso da produtividade do agronegócio e suas externalidades sob a ótica do biopoder. Saúde debate [Internet]. 4º de julho de 2022 [citado 12º de agosto de 2022];46(especial 2 jun):391-406. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/5006