Residências em saúde: análise de uma política estadual de formação de profissionais para o SUS

Autores

Palavras-chave:

Formação profissional em saúde. Internato e residência. Sistema Único de Saúde.

Resumo

As residências em saúde constituem-se importante estratégia de Estado na regulação da formação de  profissionais para o Sistema Único de Saúde (SUS) no  âmbito da política de gestão do trabalho e educação  na saúde. Foi realizada uma investigação que  objetivou analisar como a política de residência em área profissional da saúde tem sido implementada no  estado de Pernambuco, Brasil, no período de 2010 a 2021, nos aspectos gestão, características dos  programas de residência e recursos investidos. O  trabalho é uma pesquisa social, do tipo estudo de  caso e abordagem de métodos mistos, com pesquisa  documental e dados governamentais, que utilizou  como referencial teórico-analítico a Abordagem do  Ciclo de Políticas. Foi desenvolvida análise de  conteúdo temática com base no que foi coletado, na  teoria e na perspectiva dos pesquisadores,  identificando as categorias: atores da política e  governança; expansão da formação e financiamento;  áreas temáticas prioritárias; formação nas residências  multiprofissionais em saúde. Foram identificadas  experiências de gestão com participação dos diversos  atores locais, investimento incremental em bolsas de  residência e ampliação das residências  multiprofissionais em saúde. Persiste o desafio de  implementar uma política de formação em saúde,  que, pautada pelo ensino em serviço, atue como força motriz para fazer avançar o SUS.

Publicado

2023-08-18

Como Citar

1.
Santos JS, Neto PM dos S. Residências em saúde: análise de uma política estadual de formação de profissionais para o SUS. Saúde debate [Internet]. 18º de agosto de 2023 [citado 24º de julho de 2024];47(138 jul-set):516-30. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/8028

Edição

Seção

Artigo Original