Produção de verdades sobre a doação de sangue: uma análise na perspectiva de Foucault

Autores

Palavras-chave:

Banco de sangue. Doadores de sangue. Discurso.

Resumo

Em diferentes contextos, bem como no processo de doação de sangue, as verdades vão se recriando, e o sujeito vai se constituindo, criando a si mesmo como um sujeito em transformação. A produção de verdades se reflete nas práticas de doação de sangue, por meio da profunda normalização e estigmatização dos processos que as envolvem e que repercutem na disponibilização e qualidade desse produto essencial. O objetivo deste estudo foi compreender a configuração dos regimes de verdade na conformação das práticas de doação de sangue, na perspectiva de candidatos à doação. A metodologia adotada foi de abordagem qualitativa, com coleta de dados realizada por meio de entrevista semiestruturada, com 31 candidatos à doação de repetição, submetidos a análise de discurso. Optou-se, como referência ao termo ‘verdade’, pela análise de Michel Foucault, enquanto um elemento de constituição do sujeito, produto de múltiplas práticas sociais. Concluiu-se que o processo de doação de sangue é imbuído de um forte caráter normalizador, constituindo-se em relevante elemento de condução dos comportamentos e produção de verdades, impactando as dimensões alcançadas por essas relações de poder nas práticas de doação de sangue, sob o olhar daqueles que se candidatam a fazê-la.

Downloads

Publicado

2023-05-28

Como Citar

1.
Milagres SV, Velloso IC. Produção de verdades sobre a doação de sangue: uma análise na perspectiva de Foucault. Saúde debate [Internet]. 28º de maio de 2023 [citado 17º de junho de 2024];47(137 abr-jun):158-69. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/7970

Edição

Seção

Artigo Original