Intersetorialidade e Atenção Básica à Saúde: a atenção a mulheres em situação de violência

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde. Violência de gênero. Assistência integral à saúde.

Resumo

A atuação em rede intersetorial constitui um desafio para a atenção a mulheres em situação de violência de gênero. A pesquisa qualitativa de que trata este artigo se utilizou de um estudo de caso para investigar as possibilidades de construção de uma rede intersetorial entre a Atenção Básica à Saúde e serviços especializados no atendimento àquelas mulheres, especificamente na região Centro do Rio de Janeiro. Os dados levantados por meio de entrevistas semiestruturadas e observação dos serviços foram submetidos à análise de conteúdo. Para o presente artigo, analisaram-se: a trama de serviços atualmente existente; – a relação entre atenção básica e serviços especializados; e – o lugar da atenção básica na atenção integral a mulheres em situação de violência. Os resultados apontam que há tendencialmente potencial para a construção de uma assistência em rede, ainda que diversos obstáculos institucionais e da cultura assistencial de cada tipo de serviço gerem uma configuração ainda pouco integrada enquanto uma rede, despontando os centros de referência para a atenção em violência de gênero com maior potencial para atuar integradamente em rede, sobretudo na relação com o setor saúde.

Downloads

Publicado

2022-06-06

Como Citar

1.
Gonsalves E, Schraiber LB. Intersetorialidade e Atenção Básica à Saúde: a atenção a mulheres em situação de violência. Saúde debate [Internet]. 6º de junho de 2022 [citado 29º de novembro de 2022];45(131 Oct-Dec):958-69. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6147

Edição

Seção

Artigo Original