Conectando o direito à saúde e o antiextrativismo globalmente

Autores

Palavras-chave:

Desenvolvimento econômico. Formulação de políticas. Meio ambiente e saúde pública.

Resumo

Os recursos naturais são essenciais para a saúde e são bens comuns globais. Reconhecer os danos devastadores causados pelo extrativismo à saúde e ao meio ambiente, bem como a erosão da soberania de nossos governos, que cada vez mais têm subordinado a saúde das pessoas ao interesse do lucro e do desenvolvimento, é importante para enquadrar nossa resistência. Nossas comunidades sofrem deslocamentos crescentes, a perda de serviços sociais, de terra, água e meios de subsistência, militarização aumentada, violência e repressão e aumento da incidência de doenças transmissíveis e problemas de saúde resultantes da exposição a substâncias tóxicas. Tudo isso está vinculado a um projeto extrativista impulsionado pelo capital financeiro global que promove um modelo de desenvolvimento insustentável e desigual que ameaça a saúde das pessoas e a saúde do planeta.  Este ensaio retrata a inconsistência das políticas de desenvolvimento que financiam a saúde/direito à saúde com o extrativismo e descreve exemplos de resistência às indústrias extrativas ligadas ao Movimento pela Saúde dos Povos (Canadá, Turquia, Índia e Equador) em diferentes tipos de governo. 

Publicado

2022-07-04

Como Citar

1.
Arteaga-Cruz E, Mukhopadhyay B, Shannon S, Nidhi A, Jailer T. Conectando o direito à saúde e o antiextrativismo globalmente. Saúde debate [Internet]. 4º de julho de 2022 [citado 8º de fevereiro de 2023];44(44 special 1 Jan):100-8. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/2822