Gestão de eventos QBRN e a utilização do modelo Hysplit: uma revisão integrativa de literatura

Autores

  • Adriana Paula Macedo Ferreira Pereira Hospital Naval Marcílio Dias/Marinha do Brasil e Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental/ENSP/Fiocruz
  • Luiz Antonio da Costa Rodrigues Marinha do Brasil/Hospital Naval Marcílio Dias/ Instituto de Pesquisas Biomédicas e Universidade Federal do Rio de Janeiro/Museu Nacional/Laboratório Professor Álvaro Xavier Moreira http://orcid.org/0000-0003-0025-4177
  • Elaine Alves dos Santos Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Laboratório de Geocronologia e Isótopos Radiogênicos http://orcid.org/0000-0001-9620-9498
  • Telma Abdalla de Oliveira Cardoso Fundação Oswaldo Cruz/Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca/Departamento de Saúde e Saneamento Ambiental http://orcid.org/0000-0002-5430-7273
  • Simone Cynamon Cohen Fundação Oswaldo Cruz/Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca/Departamento de Saúde e Saneamento Ambiental http://orcid.org/0000-0001-6228-6583

Palavras-chave:

Dispersão de poluentes. Espalhamento de radiação. Acidentes e eventos químicos. Liberação nociva de radioativos. Gestão de riscos.

Resumo

O potencial risco de exposição das populações aos agentes químicos, biológicos, radioativos e nucleares (QBRN), seja por causas intencionais ou não, configura-se como questão de segurança nacional e demanda um constante aprimoramento no seu gerenciamento. Os modelos de dispersão atmosférica vêm ganhando destaque como ferramenta de apoio à gestão dos riscos aos agentes QBRN. O objetivo desta pesquisa foi identificar e avaliar estudos que utilizaram o modelo HYSPLIT no contexto de eventos QBRN. Para tanto, foi realizada uma revisão integrativa de literatura de artigos publicados entre 2014 e 2018, nas bases de dados PubMed, Scopus, Web of Science e Lilacs. A análise dos artigos selecionados permitiu verificar o potencial do uso do modelo HYSPLIT enquanto modelo matemático para compreender o transporte, a dispersão e a deposição de ameaças QBRN liberadas na atmosfera. Os dados produzidos pelas simulações geradas por este código podem revelar quais áreas serão potencialmente impactadas em um determinado evento ou a região de origem de elementos dispersos no ar. Ademais, o HYSPLIT pode ser agregado como uma ferramenta de suporte a decisão perante as distintas fases da gestão de eventos QBRN.

Publicado

2022-05-29

Como Citar

1.
Pereira APMF, Rodrigues LA da C, Santos EA dos, Cardoso TA de O, Cohen SC. Gestão de eventos QBRN e a utilização do modelo Hysplit: uma revisão integrativa de literatura. Saúde debate [Internet]. 29º de maio de 2022 [citado 12º de agosto de 2022];43(122 jul-set):925-38. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/2615