‘Saco vazio não para em pé’: Programa Bolsa Família e mortalidade por desnutrição

Autores

  • Rafael dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Carla Garcia Bottega Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

Palavras-chave:

Mortalidade da criança. Desnutrição. Promoção da saúde. Colaboração intersetorial.

Resumo

As condições de saúde resultam de fatores socioeconômicos, sobretudo aquelas doenças de causas evitáveis como a desnutrição em crianças nos seus primeiros anos de vida. Trata-se de pesquisa avaliativa de cunho bibliográfico e documental, com uma abordagem quantitativa, analisados a partir do coeficiente de Pearson, com o objetivo de descrever a relação entre as Taxas de Mortalidade em Menores de cinco anos (TMM5) por causas relacionadas à desnutrição e às ações em saúde do Programa Bolsa Família (PBF) no Brasil e no Rio Grande do Sul. O recorte proposto põe em evidência o acesso à renda como fator condicionante ao acesso aos alimentos. Os resultados demonstram que o Bolsa Família pode atuar diretamente sobre a saúde da criança por meio da transferência de renda e, indiretamente através da ampliação do acesso aos serviços públicos, e das ações de promoção em saúde e prevenção de agravos, principalmente em razão do caráter intersetorial do programa.

Downloads

Publicado

2022-05-29

Como Citar

1.
Santos R dos, Bottega CG. ‘Saco vazio não para em pé’: Programa Bolsa Família e mortalidade por desnutrição. Saúde debate [Internet]. 29º de maio de 2022 [citado 12º de agosto de 2022];43(122 jul-set):863-74. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1899