Centros de Informação e Assistência Toxicológica no Brasil: descrição preliminar sobre sua organização e funções

Autores

Palavras-chave:

Envenenamento. Centro de controle de intoxicações. Assistência à saúde. Sistema Único de Saúde.

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo descrever os atributos funcionais e organizacionais dos Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) inseridos na Rede de Atenção as Urgências e Emergências do SUS. Realizou-se um estudo descritivo conduzido por meio de um questionário online, disponibilizado em sítio eletrônico e aplicado aos profissionais representantes dos CIATox. Dos 31 CIATox convidados, 19 (61%) aceitaram e foram incluídos no estudo. Os CIATox participantes oferecem atendimento em tempo integral de forma telefônica e/ou presencial e, 39 tipos de atividades, com destaque para a assessoria clínica para profissionais de saúde. Estão vinculados a instituições gestoras nos três níveis de governo, contudo, possuem recursos limitados, sobretudo pelo financiamento inadequado ou insuficiente. Os CIATox podem contribuir com sua expertise para a visibilidade das intoxicações no Brasil e para o desenvolvimento de práticas de atenção à saúde da pessoa exposta ou intoxicada, integradas e operacionalizadas por meio de redes de atenção à saúde.

Biografia do Autor

Aline de Oliveira Costa, Ma., Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2010), Especialização em Toxicologia para Enfermeiros pela Universidade Estadual de Campinas (2013), Especialização em Gestão de Redes de Atenção à Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz (2017) e Mestrado em Saúde Coletiva, área de concentração Epidemiologia, pela Universidade Estadual de Campinas (2015). Atualmente é doutoranda em Saúde Coletiva, na área de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, pela mesma Universidade.

Herling Gregorio Aguilar Alonzo, Dr., Universidade Estadual de Campinas

Graduação em Medicina e Cirurgia (1987) pela Universidad Nacional Autónoma de Honduras, Pós-Graduação em Toxicologia Clínica e Ambiental (1992) pela Universidad de la República Oriental del Uruguay, Mestrado (1995) e Doutorado (2000) em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas. Prof. Colaborador Saúde Ambiental, Departamento de Saúde Coletiva, Faculdade de Ciências Médicas Unicamp (2000- 2001), Consultor Nacional Unesco, PNUD e OPAS na Coordenação de Vigilância em Saúde Ambiental, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde (2001-2009). Professor Doutor, Saúde Ambiental, Departamento de saúde coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (2009-Atual). Experiência na área de Saúde Coletiva, atuando, principalmente, no setor público nacional e internacional nos seguintes campos/temas: saúde ambiental, vigilância em saúde, centros de informação toxicológica.

Downloads

Publicado

2022-04-22

Como Citar

1.
Costa A de O, Alonzo HGA. Centros de Informação e Assistência Toxicológica no Brasil: descrição preliminar sobre sua organização e funções. Saúde debate [Internet]. 22º de abril de 2022 [citado 24º de fevereiro de 2024];43(120 jan-mar):110-21. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1187

Edição

Seção

Artigo Original