Fatores associados à prática de atividade física entre trabalhadores brasileiros

Autores

  • Ana Marcia Rodrigues da Silva, Dr. Universidade Federal de Alfenas
  • Sérgio Valverde Marques dos Santos, Dr Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo https://orcid.org/0000-0001-9412-9515
  • Carlos Henrique de Freitas Lima, Dr Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo
  • Debora Juliene Pereira Lima, Dr Universidade Federal de Alfenas
  • Maria Lucia do Carmo Cruz Robazzi, Dr Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Saúde pública, Saúde do trabalhador, Atividade física, Trabalho

Resumo

Avaliaram-se os fatores associados à prática de atividade física de trabalhadores brasileiros. Trata-se de estudo descritivo, analítico, transversal, quantitativo, realizado com 82.019.207 trabalhadores por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2015. Para verificar a associação da prática de atividade física dos trabalhadores, estimou-se a Odds Ratio (OR) com p<0,05 por meio de modelo de regressão logística com Intervalo de Confiança (IC) de 95%. Verificou-se que somente 31,7% dos trabalhadores praticavam atividade física. A possibilidade de praticar diminuiu com o aumento da idade, principalmente para aqueles do sexo masculino entre 46 e 55 anos (OR 0,626, IC 0,565-0,693), bem como para as trabalhadoras que possuíam filhos menores de 14 anos (OR 0,569, IC 0,474-0,682) e com elevada carga horária laboral. Do trabalho informal para o formal, ocorreu aumento da prática em 17,9%. Tanto a elevação da escolaridade como a salarial aumentaram essa chance em, respectivamente, 5,719 para aqueles com quinze anos ou mais de estudo e em 2,365 para aqueles que auferem renda entre doze e quinze salários mínimos. Por fim, os militares possuíam maior chance de praticar atividade física (OR 5,586, IC 3,572-8,736).

Biografia do Autor

Ana Marcia Rodrigues da Silva, Dr., Universidade Federal de Alfenas

Doutora em Economia, Professora Adjunta na Universidade Federal de Alfenas, Campus Varginha, UNIFAL.

Sérgio Valverde Marques dos Santos, Dr, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Enfermeiro, Mestre, doutorando em Ciências pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Carlos Henrique de Freitas Lima, Dr, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Educador físico, Mestre, doutorando em Ciências pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Debora Juliene Pereira Lima, Dr, Universidade Federal de Alfenas

Doutora em Economia, Professora Adjunta na Universidade Federal de Alfenas, Campus Varginha, UNIFAL

Maria Lucia do Carmo Cruz Robazzi, Dr, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Enfermeira do Trabalho. Professora Titular da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde/Organização Panamericana de Saúde para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem. Ribeirão Preto (SP), Brasil

Downloads

Publicado

2022-04-17

Como Citar

1.
Silva AMR da, Santos SVM dos, Lima CH de F, Lima DJP, Robazzi ML do CC. Fatores associados à prática de atividade física entre trabalhadores brasileiros. Saúde debate [Internet]. 17º de abril de 2022 [citado 25º de abril de 2024];42(119 out-dez):952-64. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/1073

Edição

Seção

Artigo Original