O conflito como manifestação da dimensão política dos enfermeiros na implementação do PMAQ-AB

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde. Enfermagem em saúde comunitária. Gestão em saúde. Sistema Único de Saúde. Política de saúde.

Resumo

Neste estudo considera-se como dimensão política a relação que os trabalhadores estabelecem com a gestão pública em saúde e seus desdobramentos no trabalho na Atenção Básica (AB) nas modalidades de organização da AB. Objetiva-se discutir o conflito entre enfermeiros da AB e gestão municipal em torno da contratualização e recontratualização do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) como manifestação da dimensão política. Trata-se de Estudo de Caso instrumental e qualitativo alicerçado na Análise de Discurso de matriz francesa. O corpus constituiu-se por entrevistas semiestruturadas com 08 enfermeiros, informantes-chaves da AB municipal de Ribeirão Preto-SP e documentos de planejamento de cinco quadriênios de gestão. Observa-se uma transição incompleta do modelo de AB, mais como mistura do que transição, com uma implantação incipiente da Estratégia Saúde da Família. Fica claro que a relação entre enfermeiros e gestão não é de confiança, nem de corresponsabilidade. Não há a perspectiva de participação nos processos de decisão relativos ao PMAQ, cuja condução privilegiou os aspectos burocráticos esvaziando a política de avaliação de sentido para os trabalhadores. Apesar de responsabilizarem a gestão, os enfermeiros se limitam a formas de resistência pontuais, num contexto de ausência de negociação coletiva.

Downloads

Publicado

2022-06-29

Como Citar

1.
Carneiro TSG, Carneiro PS, Pinto IC. O conflito como manifestação da dimensão política dos enfermeiros na implementação do PMAQ-AB. Saúde debate [Internet]. 29º de junho de 2022 [citado 12º de agosto de 2022];44(125 abr-jun):310-21. Disponível em: https://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/3077

Edição

Seção

Artigo Original