Saúde em Debate v. 42, n. 119

2018: um ano que deixou marcas indeléveis na sociedade brasileira

“Em 2018, ao mesmo tempo que comemoramos os 30 anos da Constituição Cidadã e do Sistema Único de Saúde (SUS), vivemos momentos de profunda insegurança e das consequências da ruptura do pacto nacional estabelecido com o fim da ditadura militar, que permitiu avanços significativos no campo dos direitos sociais. [...] Já se fazem sentir as consequências [...]: o retorno do Brasil ao mapa da fome, o aumento da desigualdade, a volta do sarampo, a reversão da queda da taxa de mortalidade infantil e o deslocamento dos planos de saúde na direção do SUS em função da precarização do trabalho e do desemprego. [...] O Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) reafirma seu compromisso com a defesa da Constituição de 1988 e com a realização da XVI Conferência Nacional de Saúde, que tem como lema Democracia é Saúde. Um ano de luta, solidariedade e unidade. Ninguém solta a mão de ninguém!”

Estes são trechos do editorial do último número regular da Saúde em Debate de 2018, assinado por Lucia Souto,  presidente do Cebes. Apresenta os seguintes temas: cursos de graduação em Saúde Coletiva; gestores locais no sistema de saúde descentralizado no Brasil; financiamento federal da política de saúde bucal no Brasil; medicamentos no SUS; Planos de Cargos, Carreiras e Salários; violência entre mulheres e uso de crack; Programa Crack, é Possível Vencer; política de saúde bucal na Bahia; satisfação de usuários a partir da Carta SUS; avaliação da assistência quanto à vacinação; criança diabética; contribuição do agente comunitário na atenção primária; atividades físicas de trabalhadores brasileiros; informação sobre diabetes nos blogs; idosos na Atenção Primária à Saúde; Sérgio Arouca: dilemas preventivista e promocionista; teorias da justiça de John Rawls e Norman Daniels; Núcleos Ampliados de Saúde da Família: revisão integrativa.

Desejamos a todos um 2019 com energias renovadas!

Publicado: 29-12-2018

Edição completa