• Abril/Junho
    v. 42 n. 117 (2018)

    “A questão dos agrotóxicos rompe os limites da ética da preservação da saúde e da vida”. Este é o título do editorial da Saúde em Debate v. 42 nº 117. Trata do Projeto de Lei no 6.299/2002, que facilita a liberação de agrotóxicos, já aprovado em uma Comissão Especial da Câmara dos Deputados e que logo será votado no seu Plenário. A proposta em discussão, além de propor a substituição de terminologias visando atenuar, semanticamente, os riscos destes produtos (de agrotóxicos para defensivos agrícolas), reduz o poder de decisão de órgãos destinados à análise dos riscos ambientais e à saúde humana.

    O Cebes está comprometido com a luta por mais recursos para pesquisas que investiguem esse tipo de problema, gerando informações que contribuam para ampliação da consciência crítica e para a mobilização por mudanças; além do compromisso da revista ‘Saúde em Debate’ na divulgação de resultados de estudos que evidenciem os malefícios à natureza e à saúde desse modelo de desenvolvimento econômico baseado na produção de commodities.

    Este número traz artigos sobre: formas político-jurídicas do Estado no capitalismo contemporâneo; programas de transferência de renda; atenção básica em saúde; organização do trabalho na atenção ao pré-natal; PMAQ  na visão de trabalhadores; doulas e humanização do parto; tuberculose e redes sociais; rede de cuidado às pessoas com deficiência; idosos em instituições de longa permanência; iniciativas do Poder Legislativo para a saúde em Pernambuco; Programa Mais Médicos na mídia; Hans Prinzhorn e a reforma psiquiátrica; agrotóxicos e a saúde humana e ambiental; e uma resenha do livro “The takeover of social policy by finalization: the brazilian paradox”, de Lena Lavinas.

  • Saúde em Debate v. 42 n.116 Janeiro/Março
    v. 42 n. 116 (2018)

    A Saúde em Debate inicia 2018 com seu editorial sobre a luta do Cebes pela justiça social e pela democracia com direitos sociais. O Cebes propõe um debate que parte da constatação de que o golpe de Estado foi engendrado para devolver o Brasil a uma condição subalterna no jogo internacional. A reversão dessa tragédia nacional não virá das classes dominantes, mas das classes e frações de classes que estão sofrendo e sofrerão as consequências do desmonte do Estado brasileiro e da perda de direitos. O Cebes estará junto nessa luta.

    A revista apresenta artigos sobre: retrocessos e riscos da PNAB para o SUS; regionalização do SUS; blocos de financiamento da saúde; hospitais filantrópicos; Estratégia Saúde da Família; Vigilância Epidemiológica; sofrimento mental de professores; reabilitação profissional; LER/Dort; influência raça/cor na obstetrícia; mortalidade infantil no Semiárido brasileiro; depressão em usuários com HIV/Aids; diabetes mellitus na atenção básica; hipertensão arterial na atenção primária; atendimento pré-hospitalar móvel de urgência; processo de trabalho da enfermagem; seringas hipodérmicas de uso único; atenção domiciliar para pacientes oncológicos; PMAQ-AB; cultura das garrafadas; microssistema linguístico de Ivan Illich; vigilância da água; residências terapêuticas; Política Informada por Evidência; vigilância da saúde; cultura organizacional na saúde; transtornos alimentares e obesidade.