Perfil de queixas técnicas relacionadas a seringas hipodérmicas de uso único comercializadas no Brasil após certificação compulsória

  • Cristovão de Sousa Alves Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • Michele Feitoza Silva Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil. michele.feitoza@
  • Kátia Christina Leandro Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • André Luís Gemal Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Instituto de Química – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
Palavras-chave: Certificação. Regulação e fiscalização em saúde. Seringas. Sistema de informação. Vigilância de produtos comercializados.

Resumo

A certificação metrológica é uma importante ferramenta de Vigilância Sanitária. O objetivo deste estudo foi avaliar o perfil das notificações de queixas técnicas de seringas hipodérmicas realizadas no Notivisa/Anvisa (Sistema Nacional de Notificações de Eventos Adversos e Queixas Técnicas/Agência Nacional de Vigilância Sanitária) entre 2012 e 2015. As notificações foram analisadas individualmente e classificadas conforme os motivos relatados. Foram avaliadas 4181 notificações, e as queixas mais prevalentes foram: ‘produto quebrado na embalagem lacrada’ (22%) e ‘sujidade/manchas no interior do produto/embalagem’ (15,8%). Não foram observadas alterações significativas no perfil das queixas após a certificação compulsória, que, embora imprescindível, não é capaz de substituir o monitoramento pós-comercialização

Publicado
2018-03-31
Como Citar
Alves, C., Silva, M., Leandro, K., & Gemal, A. (2018). Perfil de queixas técnicas relacionadas a seringas hipodérmicas de uso único comercializadas no Brasil após certificação compulsória. Saúde Em Debate, 42(116), 214-224. Recuperado de http://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/805
Seção
Artigo Original