Efeitos dos programas governamentais e da fecundidade sobre a mortalidade infantil do Semiárido brasileiro

  • Everlane Suane de Araújo da Silva Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Departamento de Estatística (DE) – João Pessoa (PB), Brasil.
  • Neir Antunes Paes Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde (PPGMDS) – João Pessoa (PB), Brasil.
  • Cesar Cavalcanti da Silva Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Departamento de Enfermagem Clínica (Denc) – João Pessoa (PB), Brasil.
Palavras-chave: Mortalidade infantil. Programas governamentais. Estratégia Saúde da Família. Fertilidade. Brasil.

Resumo

Teve-se como objetivo avaliar o impacto dos programas sociais: Programa Bolsa Família e Estratégia Saúde da Família e da fecundidade sobre a mortalidade infantil do Semiárido brasileiro, no período 2005-2010. Foi aplicado o modelo de regressão linear multivariado de dados em painel com efeitos fixos, utilizando a Taxa de Mortalidade Infantil como variável dependente; e, como independentes, as coberturas do Bolsa Família e suas condicionalidades, cobertura da Estratégia Saúde da Família e a Taxa de Fecundidade. As ações públicas dos Programas, bem como a redução dos níveis da fecundidade contribuíram sobremaneira para decréscimos nos níveis da mortalidade infantil do Semiárido.

Publicado
2018-03-31
Como Citar
Silva, E., Paes, N., & Silva, C. (2018). Efeitos dos programas governamentais e da fecundidade sobre a mortalidade infantil do Semiárido brasileiro. Saúde Em Debate, 42(116), 138-147. Recuperado de http://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/785
Seção
Artigo Original