Percepção dos trabalhadores inseridos na reabilitação profissional do Instituto Nacional do Seguro Social: a organização do trabalho adoece?

  • Andréa Domingues da Silva Souza Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) – Guarulhos (SP), Brasil.
  • Maria de Fátima Ferreira de Queiróz Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva – Santos (SP), Brasil.
Palavras-chave: Reabilitação. Saúde do trabalhador. Identidade de gênero.

Resumo

O artigo apresenta dados de pesquisa realizada com trabalhadores afastados de suas atividades laborais, por acidente, e no Programa de Reabilitação Profissional do Instituto Nacional do Seguro Social. Objetiva compreender a percepção desses trabalhadores sobre o trabalho e a condição de adoecimento em relação à organização do próprio trabalho, ao gênero (homem) e à saúde dos trabalhadores. A pesquisa foi qualitativa, de intervenção, com o recurso de oficinas. A análise foi feita pelo Discurso do Sujeito Coletivo. Os dados coletados apresentam o trabalho reconhecido como condição de existência, porém, por interesses do capital, o trabalhador não se reconhece para além da relação de troca e se aliena no mundo do trabalho, o que se reflete na relação saúde-doença.

Publicado
2018-03-31
Como Citar
Souza, A., & Queiróz, M. (2018). Percepção dos trabalhadores inseridos na reabilitação profissional do Instituto Nacional do Seguro Social: a organização do trabalho adoece?. Saúde Em Debate, 42(116), 100-112. Recuperado de http://revista.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/777
Seção
Artigo Original